Sombras na areia

Fotografias fascinantes que vão fazer pensar e letras de músicas eternas na nossa memória.

Nome:
Localização: Coimbra, Portugal

20 maio, 2006

A tempestade



A Tempestade >> Madredeus

A grande nuvem escura vai-se embora
dissolve-se a loucura da tormenta
a maré recua agora plana e lenta
as gaivotas largam terra sem demora

sobrevoam sem ruído o seu rochedo
de tanta vaga e espuma já dormente
enquanto o sol que brilha novamente
lá beija a areia toda já sem medo

Fui ver
Fui ver
a tempestade
vim a correr

Fui ver
Fui ver
a tempestade
vim-te dizer

Destroços de madeira na corrente
deixam ver o que em tempos foi uma proa
pintada de carinho e muitas côres
ao estilo desta nossa boa gente

Fica o drama dos que esperam na falésia
por quem Deus já destinou à eternidade
e é lição que contra Deus não há vontade
fica a fúria calma da grande saudade

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

/body>